Guia rápido para o desbloqueio de Wii

fevereiro 27, 2010

O bLOG era, em princípio, apenas para tratar de EeePC. Quem já visitou antes, sabe que acabei variando um pouco, e abordei temas de linux, que gosto bastante, bem como algumas dicas que posto até mesmo para manter um arquivo pessoal e para ajudar os que, assim como eu, buscam solução pra tudo na internet. O bLOG está bem parado, e posto quando posso/quero. Agora, vou variar mais um pouco, e postar algumas experiências que tive com o Wii.

Ultimamente tenho sido bastante procurado por conhecidos que viram meu wii rodando os backups de meus jogos através de um HD externo, e que também desejavam realizar tal desbolqueio. Então, a cada vez que alguém pedia para eu realizar o desbloqueio do aparelho, eu precisava ficar horas e horas procurando o melhor jeito para fazer isso.

Divulgação

Bom, então aproveitarei o blog que está parado há um tempo já para descrever um passo a passo, PARA A MINHA REFERÊNCIA, de modo a não perder tanto tempo nas próximas vezes. Fica aqui disponível a informação como ajuda aos que procuram algo do tipo, mas leia atentamente o que posto agora:

NÃO ME RESPONSABILIZO POR NADA QUE ACONTEÇA COM A UTILIZAÇÃO DESTAS INFORMAÇÕES, BRICKS, SEMI-BRICKS OU O QUE FOR EM SEU WII. A INFORMAÇÃO AQUI DISPONIBILIZADA É PARA MINHA PRÓPRIA REFERÊNCIA, E NADA MAIS. SE FOR USAR O QUE ESTÁ AQUI ESCRITO, USE POR SUA CONTA E RISCO.

Agora que isto está bem explicado, anoto que os procedimentos aqui realizados apenas servem para Wiis que não tenham sido atualizados para a versão 4.2. Aliás, pelo o que tenho visto em sites como a gamesfever, a atualização para a versão 4.2. não é recomendada, posto que bloqueia diversas opções chamadas homebrew (aplicações customizadas para o wii), e pode até mesmo ocasionar bricks em wiis de regiões trocadas.

O brick, para os que não sabem, é uma atualização ou modificação errada que corrompe os sistemas do wii, impossibilitando o seu uso. Assim, em uma tradução literal, seu videogame vira um tijolo, e nada mais. Existem meios de evitar tais bricks, mas, indubitavelmente, a melhor maneira é uma boa e extensiva leitura sobre as modificações que você pretende fazer antes de se arriscar. Procure sempre mais de uma fonte de informação, e apenas modifique seu console após ter certeza.

Enfim, segue o guia.


.:: Passo 1. Identificando seu Wii e preparando o terreno.

Antes de tudo, de qualquer modificação, é necessário descobrir qual a versão do Wii que seu console apresenta.

Para isso, entre no Options Menu do Wii (bolinha no canto inferior esquerdo do menu), e clique em Settings. Olhe o canto superior direito da tela–deve constar um número e uma letra, como 3.3.U.

O número representa a versão do SystemMenu do Wii, e a letra é a região do console. As opções são:

U – USA
E – Europe
J- Japan
K – Korea

Assim, se a letra que estiver depois do número for “K”, então seu wii é coreano.

Agora, para começarmos a instalação dos programas, será necessário um cartão SD, de preferência entre 1Gb e 2Gb, e, se possível, sem ser adaptação (evite miniSD com adaptador). Ah, e para rodar os backups um HD externo será essencial.

Finalmente, preparei um arquivo para ser copiado nesse cartão SD, com todos os arquivos necessários para a execução dos próximos passos. Tenha apenas o cuidado de seguir as instruções e não executar os arquivos errados ou na ordem errada!

Seguem alguns links em que hospedei o arquivo (48Mb):

MegaUpload

Easy-share


.:: Passo 2. Instalação do HomeBrew Channel, DVDx e BootMii e o Backup da NAND

Em seguida, é essencial a instalação do Homebrew Channel (referido à frente também como “HBC”) para que as aplicações personalizadas possam ser executadas no wii.

Para tanto, usa-se uma aplicação chamada hackmii, em conjunto com o bannerbomb. O bannerbomb permite que o hackmii seja executado diretamente do cartão SD, permitindo assim a instalação do HBC.

No arquivo que preparei no passo 1 já temos o hackmii versão 0.6 e o bannerbomb aad1f_v108. Para rodar o HackMii, basta entrar no Wii Options > Data Management > Channels > SD e um popup para rodar o arquivo boot.elf deverá aparecer. Caso não apareça, troque o conteúdo da pasta private do cartão SD por uma das outras opções do site do bannerbomb.

Se tudo der certo, a tela do HackMii aparecerá. Basta agora instalar o HomeBrew Channel, o DVDx e o BootMii, nessa ordem mesmo.

Ao instalar o BootMii, este poderá ser instalado como Boot2 ou IOS. Se for possível a instalação como Boot2, melhor: instale e, depois, o Wii será reiniciado com a tela do Boot2. Se apenas a instalação como IOS for possível, instale ainda assim, e o acesso será feito pelo HomeBrew Channel, apertando o botão “Home” (casinha) na tela principal do HBC.

Na tela do BootMii, aperte o Power 3 vezes, e então o Reset para selecionar. Após, mais uma vez o Reset para entrar na opção de Backup da NAND. O wii começará o backup do sistema dentro do cartão SD, e deve ter pouco mais que 500Mb. Após o término da operação, desligue o Wii e copie os arquivos nand, keys e a pasta bootmii que estarão dentro do SD para uma pasta segura em seu computador. Deixe guardados estes arquivos, pois são sua única esperança caso um brick futuro ocorra.

.:: Passo 3. WAD Manager

Dentro do HomeBrew Channel, caso você tenha instalado o pack que preparei, consta um programa chamado WAD Manager, na versão 1.5., que serve para instalar e desinstalar as chamadas wads.

As wads são arquivos de configuração que permitem instalar programas e patches no wii como se fosse um computador, e seu uso é relativamente perigoso. Assim, como alertei antes, as operações aqui descritas possuem o potencial de danificar o seu wii, posto que modificam o modo que o wii trabalha. A Nintendo não recomenda essas modificações, e o uso pode representar a violação de sua garantia.

Enfim, use com cuidado e apenas instale wads baixadas em locais confiáveis.

.:: Passo 4. NUS Downloader

O NUS Downloader é um programa bastante útil aos que usam o HBC e suas aplicações. Ele permite que as IOS, que são o conjunto de instruções que o wii utiliza, sejam baixadas diretamente pela internet.

MegaUpload

Easy-Share

Após baixar o arquivo, descompacte a pasta no PC. Após abrir o programa, marque a caixa  Pack -> WAD, e clique em Database.

Em seguida, escolha o tipo da wad que quer baixar, e clique em Start Download.

A wad estará dentro de uma pasta com números e letras, dentro da pasta do NUS, bastando copiá-la para uma pasta “wad” na raiz do cartão SD.

.:: Passo 5. Restaurar o Trucha Bug

Se seu Wii tem SystemMenu acima de 3.3, provavelmente não terá o chamado Trucha Bug, que possibilita rodar aplicações do HBC.

Antes de começar, e se preferir, você pode fazer o download das seguintes IOS offline, através do NUS Downloader, e então copiar para a raiz do cartão SD. Se você baixou o pack aqui, estes arquivos já estão na raiz.

IOS15-64-v257.wad
IOS15-64-v523.wad
IOS36-64-v3351.wad
IOS37-64-v3869.wad

Se tiver o Wii conectado à internet, é possível fazer o download online pelo programa, bastando escolher a opção de NUS Download na tela do programa. Se preferir usar as wads já baixadas, basta escolher a opção pelo SD no programa.

Após preparar o SD, vá ao wii e abra o Trucha Bug Restorer pelo HBC.

Primeiro, escolha a opção de ISO36, Downgrade ISO15.

Depois, abra novamente, escolha IOS15 > IOS36 Menu e deixe assim:

Install IOS to slot (36)
Hash check (trucha) YES
ES_Identity YES
Nand Permissions NO

Finalmente, abra novamente o TBR, escolha ISO36 e Restore IOS15.

Se tudo der certo, o Trucha Bug já foi restaurado.


.:: Passo 6. Mudar a Região do Wii e Atualizar o SystemMenu

Inicialmente, alerto que até o momento não precisei alterar a região de nenhum wii (todos os que peguei até agora foram americanos), mas se você possui um Wii de região diferente como Japonês ou Coreano, este passo deve funcionar sem problemas.

Este guia tem como base o Wii Americano, mas se você possui um Wii Europeu, apesar de os passos serem os mesmos, será necessário buscar um arquivo de atualização de SystemMenu próprio ao seu console. Recomendo a leitura de tutorial na gamesfever.

Antes de Mudar a Região do Wii ou atualizar o SystemMenu, é importante a instalação da IOS60 Modificada. Para isso, entre no programa DOP-IOS no HBC e escolha a IOS60. Pressione para instalar e, quando perguntar se deve ser patcheado, confirme.

Após, entre no programa Any Region Changer do HBC. Depois de ler as informações da tela, pressione 1 para ir ao programa.

A primeira opção é a linguagem (Language Setting). Escolha English.

A segunda opção é a região do wii (Console Area Setting). Deixe USA.

As opções de Game Area Setting e Console Video Mode vc pode deixar como está, posto que, caso contrário, os DVDs que vc tem não mais funcionarão.

Após, escolha Save Settings. Depois, Exit to HBC.

Com o Wii já em SystemMenu Americano, vamos atualizá-lo para 4.1.U (nunca a 4.2.!!!)

Abra o WadManager pelo HBC, e instale primeiro a ISO60 Modificada (Já instalamos a ISO60 patcheada, mas para garantir, instale de novo essa wad).

Depois, instalar o novo SystemMenu. Se tudo der certo, entre no Settings do Wii Options e veja se a versão agora é a 4.1.U.

Se você não executar o passo de restaurar o Trucha Bug antes de atualizar o SystemMenu, provavelmente receberá o erro ret -2011 e o SystemMenu não será instalado.

.:: Passo 7. CIOS38 Rev14 e USB Loader

Após restaurar o Trucha Bug e atualizar o SystemMenu, é necessário um Loader para poder rodar os seus backups de um HD externo.

Eu usei o USBLoader GX por um bom tempo, mas por questões de estabilidade, preferi mudar para o Configurable USB Loader.

Primeiro, abra o instalador da CIOS38-Rev14 pelo HBC.

Após a instalação, vc já pode testar o Configurable USB Loader no HBC.

Em seguida, apenas para facilitar o acesso, vc pode instalar o Forwader Channel pelo Wad Manager. Sem segredos.

.:: Passo 8. Preloader 0.29

Atenção: Se o BootMii for instalado como Boot2, não é preciso esse passo.

A esta altura, seu wii deve estar funcionando perfeitamente, em versão 4.1.U e rodando os backups do HD externo e tudo o mais. Contudo, é sempre bom reforçar a segurança e prevenir possíveis bricks futuros. O preloader serve pra isso.

Se você não conseguiu instalar o BootMii como Boot2, caso seu Wii dê um brick e não acesse mais o SystemMenu, ou seja, sequer ligue, não será possível restaurar a NAND que fizemos o backup anteriormente. Contudo, como alternativa, usamos o preloader, que é instalado antes da tela de abertura do wii, e, portanto, funciona como um Boot2. Se o seu Wii der um full brick e você tiver o preloader instalado, basta ligar o Wii como Reset pressionado e então acessar o HBC pelo menu do Preloader para então restaurar sua NAND.

Enfim,vamos à instalação.

Inicialmente, para ter certeza de não ter erro na instalação do Preloader, instale a wad IOS36-64-v1042.wad pelo WadManager. Isso evita o erro “failed to get root, ios(36) has fakesign bug fixed” que ocorre na instalação do Preloader.

Após, rode o preloader pelo HBC. Esse preloader 0.29 é modificado (jodi) para corrigir erros com a abertura do HBC (Error autobooting HBC. Maybe title not installed), e o arquivo hacks.ini é adaptado à versão 4.1. também. (o original do preloader era apenas para 4.0).

Uma vez instalado o preloader, o wii reiniciará e irá para a tela dele. Basta agora entrar em settings, e deixar as duas primeiras opções como SystemMenu.

Divulgação

Ao ligar o wii, como passará primeiro ao Preloader para então ignorar e redirecionar ao wii, haverá um pequeno delay, mas nada com que se preocupar.

.:: El finale: yay!

E pronto! Seu Wii está desbloqueado para rodar backups, atualizado na versão 4.1.U e com proteção contra bricks!

Apenas tome cuidado para não  atualizar seu wii para a versão 4.2., pois com a região trocada e as demais alteações feitas, é grande a chance de ocorrer o chamado Erro 003, e aí, meu filho, já elvis.

Mais pra frente posto mais algumas coisas de Wii, se houver interesse. Ah, e se algum dos links sair do ar, por favor avisem.

Anúncios

Deluge Web User Interface

fevereiro 7, 2009

Fuçando um pouco, vi que o Deluge possui um recurso muito legal, ideal para o meu servidor de arquivos em que ele roda…

Trata-se do controle remoto do programa por uma interface Web! Isso mesmo, você pode, portanto, acessar o Deluge pelo Firefox, ou outro browser, para ver o status de seus torrents ou mesmo para iniciar novos downloads!

Para ativar o recurso, abra o Deluge (no servidor, claro), vá ao Menu Editar > Preferências > Plugins. Neste menu, habilite o plugin “Web User Interface“:

captura_de_tela-preferencias-do-deluge

Clique em Preferências para configurar o plugin. Na tela que se abre, defina a porta em que o programa vai ser acessado, sendo que a padrão é a 8112, e defina uma senha de acesso.

captura_de_tela-configuracao-da-interface-web

Agora, basta abrir o endereço no seu browser, como em http://192.168.0.100:8112

Você deve, logicamente, substituir o endereço acima pelo endereço do computador em que o Deluge está instalado. Se tudo der certo, uma tela solicitando a senha que definimos aparecerá, e poderemos controlar nossos torrents pelo browser! Você pode ainda adicionar novos torrents, bastando fornecer o endereço do torrent no menu correspondente ou então fazer um upload.

Veja as minhas screenshots:

captura_de_tela-delugenome-de-usuario-mozilla-firefox

captura_de_tela-delugelista-de-torrents-mozilla-firefox

captura_de_tela-delugeadicionar-torrent-mozilla-firefox


Seu EeeBuntu fala português!

fevereiro 6, 2009

Dica rápida, pra começar o dia.

O EeeBuntu, apesar de configurar o sistema para o português, baseado na língua que você escolheu na instalação, não faz o serviço completo. Assim, muitos menus, programas e partes do sistema ficam em inglês, deixando um sistema “misto”.

Para arrumar isso, vá em System > Control Center > Suporte a Idiomas (é assim mesmo, viu?).

Marque a opção Português, e dê um Aplicar.

captura_de_tela-suporte-a-idiomas1

Agora, é só reiniciar e ver a diferença!


Configurando o Google Calendar no Thunderbird (do EeeBuntu)

fevereiro 6, 2009

Como vocês devem ter percebido, o EeeBuntu vem com o plugin Lightning instalado, que permite a utilização de calendários no Thunderbird. Essa função é muito prática se você usa o computador para trabalhar ou estudar, pois vocẽ pode salvar compromissos, provas, reuniões, e muitas outras coisas, com o computador até mesmo apresentando lembretes!

Por outro lado, se você usa o Google Calendar, sabe que é muito bom ter uma agenda na internet, em segurança, sem se preocupar em fazer backup de tudo quando tiver que mudar de máquina, correto?

O ideal, portanto, é integrar essas duas funções, claro!

O Thunderbird, em princípio, tem a capacidade de trabalhar com calendários. Contudo, para que você possa criar um novo evento nele, e para que então este seja salvo direto no Google Calendar, apenas o Lightning não é suficiente–você precisa baixar o plugin Provider, que fornece suporte bidirecional (ou seja, lê do Google e escreve no Google).

Se você abrir o Thunderbird e acessar o menu Ferramentas > Complementos, verá que o Lightning instalado é a versão 0.8, que não é a mais atual. Com efeito, essa é a versão que existe no repositório (você pode ver no Synaptic sob o nome lightning-extension), e sequer pode ser desinstalada pelo Thunderbird, pois a opção está desabilitada –pra tirar, só mesmo no synaptic ou pelo terminal.

A razão de ser esta a versão instalada é que a versão mais nova, a 0.9, não funciona bem com o Thunderbird 2.0.0.19, versão que vem no EeeBuntu e que, por sinal, é a mais recente. Enfim, instalei o Provider que baixei na página de Addons do Thunderbird, e qual não foi a minha surpresa ao ver que ele exigia o Lightning mais potente…

screenshot-add-ons

Sem stress, porém. Para ter seu calendário funcionando, baixe a versão do Provider compatível com o Lightning 0.8, a saber, o Provider versão 0.4.

Reinicie o Thunderbird, e tudo deve estar funcionando!

Para configurar o seu calendário no Thunderbird, vá até a seção de Calendário no Thunderbird, e clique com o botão direito > Novo Calendário.

Após, escolha a opção de calendário na rede.

screenshot-criar-calendario

Em seguida, escolha a opção “Google Calendar” e, no endereço, digite o link correspondente ao XML da página de configurações da sua agenda no Google Calendar:

screenshot-criar-calendario-1

screenshot2

Por fim, dê um nome ao seu calendário e uma cor, marcando a opção de exibir alarmes , e digite a senha de acesso ao calendário, deixando marcada a opção de lembrar senha. Pronto!

screenshot-criar-calendario-2

screenshot-login-do-google-calendar

Agora seu Thunderbird está prontinho para o uso de Calendários do Google!

Veja como ficou a tela das minhas extensões, após colocar a tradução para PT-BR (você encontra a opção no Synaptic, só procurar por lightning-extension, e escolher o que tem também a opção pt-br):

screenshot-complementos

Aos poucos, meu EeeBuntu vai ficando do jeito que eu queria! 😉


Meu novo cliente Torrent: DELUGE!

fevereiro 5, 2009

Depois de usar o Transmission, Azureus, BitTornado, etc., e, insatisfeito com os clientes torrents para linux (Windows, indubitavelmente, uso o UTorrent), acabei me deparando com o Deluge.

Deluge

A interface dele é bastante parecida com o UTorrent, e posso dizer que estou bastante satisfeito com o seu desempenho.

Para instalar, digite no terminal:

$ sudo apt-get update

$ sudo apt-get install deluge-torrent

Depois de instalado, vamos à configuração. Ao abrir o cliente pela primeira vez, aparecerá um Wizard para a configuração. Eu preferi clicar em cancelar e arrumar tudo manualmente.

Com o programa aberto, e sem o Wizard, vá ao Menu Editar > Preferences.

Escolha onde salvar os arquivos baixados, ou deixe a opção de perguntar onde salvar. Ainda, defina onde ficarão armazenados os arquivos torrents. O Deluge oferece uma opção interessante, permitindo o download automático dos torrents que estiverem na pasta indicada, que, no meu caso, será muito útil em meu servidor, que sempre inicia o Deluge e pode ir baixando os arquivos sem que eu faça nada.

screenshot-preferencias-do-deluge

Sem seguida, abra a aba Rede e escolha a porta que o Deluge deverá usar. Lembre-se de liberar esta porta em seu firewall/roteador (geralmente basta um port forwarding, mas se tiver dúvida de como fazer isso, procure em uma página especializada como a Port Forward).

screenshot-preferencias-do-deluge-1

Por fim, no menu Largura de Banda, defina propriedades como o limite de download/upload. Se quiser deixar ilimitado, defina como -1 .

screenshot-preferencias-do-deluge-2

E pronto! Seu novo cliente de BitTorrent está funcionando!

screenshot-deluge

Se quiser deixar a inicialização do Deluge automática, juntamente com o sistema, basta, no EeeBuntu, por exemplo, ir ao menu System > Centro de Controle > Sessions e Adicionar uma nova entrada no Startup Programs:

screenshot-sessions-preferences

Clique em “Add” e configure a entrada com o comando “deluge“:

screenshot-add-startup-program

E pronto! Só correr pro abraço! Até a próxima!